Auditoria interna como forma de desenvolvimento organizacional



Cada vez mais, cresce no mercado a necessidade de se entender e de aplicar a auditoria. É natural que esta demanda cresça, uma vez que as empresas buscam oportunidades e soluções para realizar mais e melhor. Além disso, diante da diversidade de normas e procedimentos a que está sujeita a administração de uma empresa, verifica-se frequentemente, uma carência de procedimentos padronizados e previamente estabelecidos.

É sabido que a auditoria vem garantir o diferencial como gestão, e que deve ser vista como uma ferramenta de desenvolvimento e de crescimento organizacional, ela deve ter sempre um caráter orientador e principalmente educacional e nunca punitivo. A ideia de que a auditoria é usada quando algo dá errado é equivocada.


As empresas buscam entender como ir além do máximo desempenho, e buscam melhoria contínua. A auditoria pode trazer soluções de padronização, qualidade e desempenho, que identificam que não há desperdícios, perdas, fraudes. As empresas que contratam os serviços de uma auditoria desejam realizar uma autoanálise, a fim de transpor possíveis obstáculos já instalados, como também alcançar seus resultados da forma mais eficiente possível.


O propósito da auditoria deve ser auxiliar as empresas a focarem em sua operação, controlarem seus padrões e processos, anteciparem os problemas e implementarem sistemas e tecnologia cada vez mais acessíveis, por meio de uma maior transparência administrativa, que alavanca o seu valor de mercado e trazem vantagens competitivas, por transmitirem mais confiança aos seus acionistas e investidores.


É comum que os gestores responsáveis por seus setores, tenham pouco tempo disponível para monitorar e acompanhar o que se passa com os procedimentos sob sua supervisão. Por estas e outras razões, a auditoria passou a fazer parte de uma organização moderna.


Não há como assumir uma área de nível estratégico sem uma visão aprofundada de atividades e processos, o que torna essencial a existência de um setor atento às oportunidades de melhorias que possam eventualmente surgir.


O papel liderança

O papel da liderança como patrocinador principal da auditoria é essencial para alcançar um processo bem sucedido. Os 3 C’s da Liderança podem ser bastante úteis neste processo:

Comunicar

Comunicar o "o quê" e o "por quê". Líderes que explicam o propósito e os benefícios do processo de auditoria criam uma adesão mais forte e urgência para a mudança.

Colaborar

Reunir as pessoas para planejar e executar o processo é fundamental. Os líderes bem-sucedidos incentivam os colaboradores a sair de seus silos, reforçam o compromisso com o processo e envolvem os colaboradores desde o início e, muitas vezes, no processo de implementação de mudança.

Comprometer-se

Eles também devem dedicar tempo e atenção ao esforço do processo, evitando expressar negatividade ou impaciência com resultados.


As pessoas são o ponto mais importante para que a auditoria seja bem-sucedida. É comum os colaboradores interpretarem auditoria como uma ameaça, um processo de busca por erros que irá expor falhas aos seus superiores.


Nesse ponto, a atuação de Recursos Humanos é de extrema importância, apoiando o processo de orientação, auxiliando no engajamento do time e da liderança, assegurando segurança psicológica para evitar a crença de que haverá punição por erros.


É essencial o envolvimento do time de RH com orientação, comunicação, informação, para iniciar o processo, explicando a importância do papel de cada um para adequação dos controles internos e para o desenvolvimento organizacional e sucesso da empresa.


A auditoria precisa ser vista como uma aliada no processo de melhoria continua da empresa e não como um obstáculo, tendo o RH um papel relevante na disseminação dessa cultura na organização.


Raquel Sobrinho, Embaixadora no Squad de Compliance e Boas Práticas do HUBRH+ e HR Business Partner na NCR Brasil